quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Games Batatais: The World Ends With You





Ficha técnica:


Nome: The World Ends With You
Desnvolvedora: Square-Enix/Jupiter
Lançamento: 2008
Plataforma: Nintendo DS
Categoria: Action RPG

Olá pessoal, sou um novo redator aqui do blog e irei trazer matérias sobre games e assuntos relacionados. Para começar, trago uma análise de um game essencial do Nintendo DS: The World Ends With You

The World Ends With You é um RPG com uma temática bem original: Ao invés de ser ambientado numa época medieval com cavaleiros salvando o mundo com suas lendárias espadas, TWEWY coloca o jogador no Japão moderno, mais precisamente em Shibuya,
um distrito comercial de Tóquio. Os cenários do jogo foram construídos a partir da verdadeira Shibuya, como a estação de trem, a estátua de Hachiko e outros.  O mesmo acontece com os itens e equipamentos, nada de armaduras e elmos, aqui você terá de usar roupas e acessórios modernos e descolados para melhorar seus status como ataque e defesa.




O jogador deve controlar Neku Sakuraba, um garoto que é a imagem do adolescente rebelde, anti-social ,rabugento e que não confia em ninguém. O jogo começa com Neku acordando no meio de um cruzamento movimentado, sem saber como foi parar ali. Logo percebe que há um contador em sua mão e depara-se com a mensagem “you have 7 days(você tem 7 dias)”. Então ele é atacado por alguns sapos que surgiram do nada, Neku pede ajuda, mas ninguém ouve. Ele sai correndo e é aí que o jogo começa. Quando Neku chega à estátua de Hachiko ele vê várias pessoas sendo atacadas por monstros e desaparecendo, daí aparece uma garota chamada Shiki que diz a Neku para fazer um pacto com ela para assim ficarem livres dos noises(ruídos) que são os monstros do jogo. Assim Neku e Shiki devem juntos sobreviver à semana que estar por vir.

Eles estão participando do Reapers game(algo como jogo dos ceifadores) onde o objetivo é cumprir cada missão antes do contador zerar para assim não ser apagado. Nesse jogo não é possível participar sozinho, por isso deve-se forjar um pacto com uma pessoa que será sua companheira até o fim do jogo.

Cada dia da semana equivale a uma fase do jogo e o desenrolar da história vai sendo explicado por meio de cutscenes com balões de diálogo, semelhantes a um mangá.



 
Apesar de em certos momentos você ter impressão de estar lendo um mangá e não jogando um game, o jogo não fica entediante pois a história é muito interessante e cheia de reviravoltas, e os personagens vão nos cativando conforme avançamos na história, muito interessante ver  como Neku vai deixando de ignorar os outros e percebendo que cooperação é importante.



 
O jogo apresenta um sistema de batalhas inovador mas que possui uma curva de aprendizagem elevada. Você tem que controlar Neku na tela tátil e Shiki(ou outro parceiro  nas semanas seguintes) na tela superior através do D-pad ou dos botões A. B. X. Y se for canhoto. Neku utiliza ataques psíquicos que lhe são conferidos através de pins, que podem ser equipados no menu. Existe uma variedade imensa de pins e cada um confere à Neku uma habilidade diferente, como atirar projéteis, utilizar ataques diretos, recuperar HP e muito mais.









 
Você pode optar por controlar apenas Neku na tela tátil enquanto seu parceiro na tela superior é controlado automaticamente até se acostumar com os controles, ou pode terminar a aventura toda sem nem controlar o personagem na tela superior, porém estará perdendo uma das experiências de batalhas mais inovadoras que existem, e depois de certa prática com os controles as batalhas fluirão com tanta naturalidade que vão parecer que foram simples desde o começo.




 
A barra de HP é dividida entre os dois personagens, e os inimigos que existem em uma tela existem também na outra, logo ao apagar um inimigo numa tela ele desaparecerá da outra também. A realizar um combo ,um “puck” será mandado ao parceiro e ele aumentará seu ataque conforme via sendo mandado de Neku ao parceiro, o puck desaparecerá ao ser atacado, perdendo seu efeito. Manejar o puck é importantíssimo em batalhas mais complicadas.

Os controles por toque podem ficar um pouco confusos mas é possível driblar isso perfeitamente por exemplo, você equipou dois pins que são ativados por um único toque na tela, o pin que está mais à esquerda de seu deck será priorizado, logo ele será o primeiro a ser utilizado, há também como desabilitar e habilitar pins na hora que for conveniente através dos sub-slots.  

A trilha sonora do jogo é um show à parte, são diversos ritmos que variam do J-pop, J-rock, eletrônica e hip-hop. A maioria das músicas possuem vocais,  e elas dão o clima do game e embalam as batalhas. Aqui vão o tema principal e algumas músicas do jogo:










              


Além das batalhas, é importante fazer compras para melhorar os status de seus personagens. Afinal, vivemos num mundo capitalista. Pena que comer batata frita  ou usar roupa de marca na vida real não aumenta a nossa defesa, nao é?




Se você possui um DS e ainda não jogou esse game vale à pena dar uma conferida, um jogo que possui belos gráficos, trilha sonora excelente e um enredo muito bem trabalhado. Não é a toa que o game foi muito bem recebido pelo público e pela crítica. Uma das experiências mais legais para se ter no DS.



Curiosidade: Notou semelhanças entre Neku e Sora, de Kingdom Hearts? Isso é devido ao designer que faz os personagens de KH e TWEWY ser o mesmo: Tetsuya Nomura. E no próximo spin-of de KH, Kingdom Hearts DDD para o 3DS previsto para 2012, Neku vai aparecer lado-a-lado a Sora. Vai ser um cross-over... interessante no mínimo.


 É isso aí pessoal, abrações e até a próxima!

2 comentários:

  1. TWEWY eh um dos jogos mais inovadores que joguei no DS, alem de ser acompanhado de uma bela trilha sonora,
    hahaha mas os combos na tela superior do DS eu deixava em modo automatico, quase nunca acertava kkk

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...